sábado, setembro 27, 2008

Na mídia

Como todos já devem estar sabendo, A Turma da Mônica cresceu e está dando a maior polêmica. Há os que amaram e os que odiaram. O Jornal Pampulha do dia 20 de setembro discutiu a questão de levar personagens para infância ou vida adulta. Participaram da matéria o diretor da Casa dos Quadrinhos, Cristiano Seixas e o professor de Narrativa Visual, Erick Azevedo. Confira a matéria na íntegra acessando o site do Jornal Pampulha.

Lucas Libânio (professor)

O professor Lucas Libânio é formado em cinema de animação pela Escola de Belas Artes da UFMG. Atua como profissional de animação, ilustração e desenho desde 2001, realizando trabalhos e peças gráficas para diversas mídias. Atualmente publica sua tira com o personagem Hans Grotz aos domingos no Jornal Super Notícias e leciona Cartum na Casa dos Quadrinhos.




sábado, setembro 20, 2008

Emerson Duarte

Emerson Duarte é formado em Artes Plásticas, na Escola Guignard. Fez o curso Pintura e Ilustração e, atualmente, faz o curso de Pintura Digital 2 na Casa dos Quadrinhos. Suas influências estão mais voltadas para as Artes Plásticas. Gosta muito das esculturas de Rodin, das cores vibrantes de Matissee e Gauguin e os desenhos do artista brasileiro Gil Vicente. Utiliza a tinta acrílica, mas também se identifica com a tinta óleo.

Homem de turbante (guache)

Lili (acrílica)

Retrato (nanquim)

[sem título] (óleo)

terça-feira, setembro 16, 2008

Edital Artes Visuais 2009-2010 do Palácio das Artes

A Fundação Clóvis Salgado abriu no dia 15 de setembro, as inscrições para o Edital Artes Visuais 2009-2010, que vai selecionar artistas para as exposições que acontecerão nas galerias Genesco Murta, Arlinda Corrêa Lima e Espaço Mari’Stella Tristão, no Palácio das Artes. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas até o dia 07 de novembro.

O Edital agora é bienal, e todo o processo de inscrição, avaliação e seleção acontece em 2008, sendo que as exposições serão realizadas ao longo dos anos de 2009 e 2010. Cada candidato pode se inscrever com até duas propostas, sendo uma individual e uma coletiva. As inscrições estão abertas para brasileiros natos ou naturalizados de todo o país e estrangeiros com residência fixa no Brasil há mais de dois anos. As propostas devem ser entregues pessoalmente no Departamento de Artes Plásticas da Fundação Clóvis Salgado, de segunda a sexta-feira, entre 14h e 18h, ou pelo Correio.

Todas as propostas recebidas são julgadas por uma comissão especialmente nomeada pela Fundação, e um dos componentes da comissão será escolhido através de votação pelos proponentes. Os critérios de seleção para as exposições envolvem a qualidade, contemporaneidade e ineditismo das mostras. O resultado será divulgado na primeira semana de dezembro, no site do Palácio das Artes e no Diário Oficial.

O objetivo do Edital é divulgar o trabalho dos artistas nas galerias da Fundação Clóvis Salgado e dar à população a oportunidade de conhecer produções de qualidade em diversas linguagens, como pintura, desenho, gravura, escultura, fotografia e instalações.

Em 2008 foram selecionadas 14 propostas, e ao todo, a última edição do Edital recebeu e analisou 146 propostas, número que ultrapassa em 50% o volume de 2007. As propostas incluíram artistas internacionais (da Alemanha e Canadá), de Minas Gerais e de outros estados.

Os artistas selecionados contam com total suporte da Fundação Clóvis Salgado, que oferece toda a estrutura de espaço, mobiliário, iluminação e divulgação.

Mais informações e edital completo acesse Palácio das Artes

sexta-feira, setembro 12, 2008

Animará - Festival Internacional de Cinema e Animação

A cidade de Sabará receberá o ANIMARÁ 2008 - Festival Internacional de Cinema e Animação, entre 13 e 21 de setembro.

Com o apoio da Prefeitura Municipal e da Lei de Incentivo à Cultura, o evento terá mostras de filmes nacionais e internacionais, oficinas, shows e mesas redondas, com o objetivo de ampliar os horizontes da animação em Minas. A realização é da Casa da Animação.


O ponto central do evento do ANIMARÁ será o Largo do Rosário (Praça Melo Viana), onde haverá cine-tendas, palco e praça de alimentação. No sentido de aquecer o mercado, durante o Festival serão oferecidos pela Casa da Animação, Oficinas de Formação, tendo como professores, profissionais reconhecidos no mercado nacional e internacional.


- A Oficina de 3D acontecerá na sede da Microlins, de 16 a 18 de setembro. - Já Oficina de Roteiro para Animação, será no mesmo período, mas na Escola Estadual Zoarostro Viana Passos.

- Haverá ainda exposições de desenhos e uma exposição animada mostrando passo-a-passo a produção das animações.


Outra mostra de destaque, é a Guerra do Vinil, um filme gravado em São Paulo, cujas maquetes, personagens e todo o material utilizado para fazer o filme serão expostos na Casa da Ópera (Teatro Municipal), de 13 a 18 de setembro, de às 9 às 17 horas.


De acordo com o presidente da Casa da Animação, Klauber Malaquias, 26, o ANIMARÁ é importante não só para os organizadores do evento, mas para os moradores também. "É algo que atrai um número grande de turistas, fomentando a cultura e o comércio local".


Em paralelo à programação cultural do ANIMARÁ, será realizada "Mesa Redonda", com debates sobre temas variados, como: o Nascimento da TV Brasil, as oportunidades da animação com o surgimento da TV, animações em Minas Gerais, a Televisão e a Inclusão Social. As discussões contarão com a com a participação de pessoas de renome no cenário da animação, como João Alegria, do Canal Futura; José Ararique, do Ministério da Cultura e diretor da TV Brasil; Otto Guerra, Diretor do Filme Uthes Toque; entre outros nomes do próprio município ligados a projetos sociais de animação.


Quem ainda não se cadastrou para as oficinas e Mesa Redonda, mas tem interesse em participar, deve se inscrever pelo site http://www.animara.com.br/. Outra opção é o telefone: (31) 3674.1777. Tanto os as oficinas quanto à Mesa Redonda têm o número de vagas limitado.

Fonte: Guia Entrada Franca

quinta-feira, setembro 11, 2008

Nós;a Casa - Abertura da Exposição

É pessoal este ano a Casa está realmente "bombando"!!! No último dia 08 aconteceu a abertura oficial da Exposição Nós;a Casa no Espaço Cultural da Casa. Foi simplesmente um sucesso! A Casa estava cheia. Também, não podia ser diferente: arte, gente inteligente e coquetel, claro que com esses ingredientes o sucesso é garantido. Doroti Seixas foi uma anfitriã irretocável. A equipe se empenhou em fazer do evento algo a ser lembrado por muito tempo. E acho que conseguiram! Se você esteve presente e quiser deixar um recado, fique à vontade e se você não pôde comparecer, confira as fotos!




Cristiano Seixas (Diretor da Casa)

Os artistas/professores Daniel Lima, Lucas Libânio, Danilo Soares e Gulliver Vianei (esq. pra dir.)

Eduardo Damasceno (à dir.)

Texto: Cleide Fernandes

Fotos gentilmente cedidas pelo curador da exposição Eduardo Bernardes

quarta-feira, setembro 10, 2008

Stephan Segantini (ex-aluno)

Fan art Zombie Reaper

Fan art Zumbie Slayers

Stephan Segantini começou a estudar na Casa dos Quadrinhos em 2003. Segundo ele "a convivência, o aprendizado e as dicas do pessoal da Casa dos Quadrinhos fizeram meu desenho evoluir consideravelmente, e se hoje ele está bom devo muito a vocês, my dear friends!:)”.

Formou-se em Cinema de Animação pela UFMG. Seu gênero favorito de histórias é o horror, cuja preferência iniciou-se com a leitura de H. P. Lovecraft.

Stephan está participando de um concurso de desenho. Para dar uma força para a prata da Casa acesse o site do concurso.

Boa sorte, Stephan!

Revista Caros Amigos recruta quadrinistas

A revista jornalística Caros Amigos, da editora Casa Amarela, pôs uma nota na edição deste mês convidando autores de tiras cômicas a publicarem trabalhos.

O material sairá na seção "Re: Traço", página da revista dedicada a quadrinhos.

Não é informado se o autor será pago por isso. Consta apenas o e-mail para contato: arte@carosamigos.com.br


Notícia enviada pelo aluno Alexandre Ribeiro da Silva

Turma da Mônica Jovem - resenha

Acompanhei o lançamento de Turma da Mônica Jovem pelos jornais e fiquei atento aos comentários gerados por essa novidade do Maurício de Sousa. Muita gente torcia o nariz antes mesmo de por as mãos no primeiro número do novo gibi, agora em estilo mangá.

Compreensivo; nós, trintões, praticamente fomos alfabetizados com os quadrinhos da Turma da Mônica. Mas, antes de dar qualquer palpite, quis ver com meus próprios olhos a primeira edição da revista. Não foi fácil encontrar um exemplar, eles se esgotaram rapidamente nas bancas. Finalmente, consegui por as mãos no gibi e agora estou passando minhas impressões sobre o que vi e li.

A capa ficou “meia-boca”, mas por dentro é interessante. A principal paridade com os mangás são as páginas em preto e branco, repletas de recursos gráficos como as retículas. Os desenhos mantêm o traço característico da turma “antiga” incorporando elementos comuns à linguagem do mangá. São páginas interessantes, que não deixam nada a desejar se comparadas aos mangás mais populares importados ou produzidos por aqui mesmo.

O enredo é estapafúrdio. Mas, se enredos estapafúrdios fossem o suficiente para desacreditar uma HQ, mais da metade da produção mundial estaria comprometida. E, depois que a novela Os Mutantes, exibida pela Record, deixou claro que a diferença entre filmes como X-Men e as produções nacionais está no orçamento, exigir justamente da Turma da Mônica alguma profundidade filosófica é, no mínimo, apelação.

Com relação ao “estilo mangá”, não vejo problema algum este novo lançamento levar em consideração a tendência do mercado. Marvel e DC já fizeram versões em mangá de seus personagens, por que Maurício de Souza não poderia?

A “velha” Turma da Mônica continuará a ser publicada, para meu alívio (que de vez em quando ainda compro uns gibizinhos pra distrair) e, acredito, para o alívio de muitos de vocês que estão lendo esta crítica. Mas não devemos julgar que Maurício de Sousa está louco ou “gagá”. Ele é um dos maiores empresários dos quadrinhos no mundo, exportando as revistinhas da Mônica para mais de 30 países e recebendo prêmios em muitos deles. Certamente houve pesquisas de mercado, planejamento e tudo mais que lançamentos dessa magnitude precisam.

Na minha opinião “Turma da Mônica Jovem” perde de longe para as aventuras da baixinha, gorduchinha e dentucinha. Mas, quem está julgando é o menino que torcia pelo Cebolinha e queria ser o Chico Bento. Quem vai julgar o sucesso da “Mônica Mangá” é essa garotada, para quem a revista foi lançada.

Eduardo Bernardes (professor de Desenho Artístico Avançado)

Se você quiser conferir este lançamento vá até a Biblioteca da Casa!

terça-feira, setembro 09, 2008

Ainda dá tempo!!!

A Minigaleria de Arte apresenta a Mostra "Brothers in arms" até o dia 18 de setembro, de segunda a sexta a partir das 15h. A mostra reúne Tristan Eaton, nascido em Hollywood, que vive e trabalha em Nova York; David Flores, iraniano radicado na Califórnia; 123 Klan, duo francês; Kid Acne, britânico; e Stephan Doitschinoff (a.k.a. Calma), brasileiro de São Paulo. É um encontro de coletivos, de artistas de vários países, tradução de vontade declarada de fomentar intercâmbio.

A Mostra apresenta trabalhos com linguagem pop, de grande qualidade, de artistas que hoje são referência para o mundo do design e das artes, lembrando que a turma tem fortes ligações com o mundo gráfico e a nova cultura urbana. Praticamente todos atuam, inclusive, com vários meios: grafite, ilustração, design de toyart, cenários para espetáculos musicais, pôsteres, adesivos, criação de marcas etc. Tradução de ligações igualmente intensas com os mundos da música pop, skate, moda, arte.

BROTHERS IN ARMS

Data e Horário: até 18/09 (de segunda a sexta-feira, das 15h às 18h)
Local: Minigaleria de Arte, Rua Teixeira Mendes, 252, Cidade Jardim
Mais informações: 3296-7349 ou no site da Minigaleria

Livro de Graça na Praça 2008

40 escritores escreveram este ano para o Livro de Graça na Praça, que vai acontecer dia 14 de setembro, na Praça da Liberdade, em Belo Horizonte, a partir das 8 horas. 20 escreveram para o livro adulto, 8 para o livro infantil e 12 para o cordel.

Perdidos & Achados (público adulto)
Arthur Vianna, Beto Vianna, Carlos Henrique Campos, Carlos Perktold, Cida Chaves, Dagmar Braga, Edésio Batista, Eneida Machado Milet, Fernando Barros, Geraldo Amâncio, José Bento Teixeira de Salles, José Carlos Peres, José Mauro Costa, Josenir Lacerda, Laura Medioli, Luís Moraes Coelho, Olavo Romano, Ricardo Rao, Sylvia Debs e Waldemar Brandão.

Riscos & Rabiscos (infanto-juvenil)
Cristina Agostinho, Isa Musa de Noronha, Irlanda Silva Gino, Ivana Versiani, Leida Lusmar, Luís Carlos Eiras, Ronaldo Simões Coelho e Yeda Galvão.

Brasil Real: O Outro Lado da Moeda (Antologia de Cordel)
Antonio Ribeiro da Conceição, Evatisto Feraldo da Silva, Francisco Edésio Batista, Gildamar Pontes, Olegário Alfredo, José João dos Santos, Josenir Lacerda, Antônio Klévisson Viana, Maércio Lopes, Antônio Carlos da Silva, Marco Haurélio e Pedro Costa.

O LGP faz parte do Calendário Oficial de Festas e Eventos de Belo Horizonte e tem o patrocínio do SENAC/Minas, do SESC/Minas e o apoio cultural do jornal O Tempo.

Mais informações acesse Livro de Graça na Praça

sábado, setembro 06, 2008

Nós;a Casa: mesa redonda

Noite de sexta-feira. Todo mundo querendo descansar, mas os intrépidos artistas da Casa dos Quadrinhos se reuniram para discutir o processo de criação das obras que integram a exposição Nós;a Casa.

Foram discutidos vários temas que perpassam o processo de criação. O primeiro foi a questão do cumprimento de prazos. Parece ser unanimidade que todos passam por esse problema, por motivos diferentes, mas é uma questão problemática na vida do artista. Solução: melhorar a etapa do planejamento da obra.

Conversaram também sobre as questões que envolvem os processos e técnicas na criação de uma obra. Danilo Dias afirma que "O que a gente não sabe não vemos no nosso desenho". Para Damasceno a "dificuldade para realizar o trabalho proposto foi se adequar à técnica escolhida", já que ele tem trabalhado mais com arte digital. Enveredaram pelos meandros da arte digital em contraposição à arte tradicional. E foi uma profusão de pensamentos!!! Uma idéia muito interessante que levantaram é que "o digital não tem que copiar o tradicional, mas se somar à arte tradicional", no que todos concordaram.

Ainda sobre isso Cristiano Seixas acredita que "o processo tradicional é mais rico que o digital" e Daniel Lima complementou "você não degusta o computador". Na verdade, parece que alguns artistas ainda são analógicos, mas não desprezam a contribuição do computador como ferramenta de trabalho.

Passaram também a discutir um pouco de conceitos da Arte. O que é arte? Bernardes disse que “a arte não tem objetivo” e isso rendeu um bom papo. Cristiano afirmou que “o coreldraw acabou com as artes aplicadas nos anos 90” - uma clara referência ao trabalho “artístico” de micreiros. E muitas outras idéias interessantes foram discutidas.

O que ficou mais marcante para mim é a preocupação do corpo docente e artistas convidados em criar um momento de reflexão sobre o processo artístico e seu resultado. PARE E VEJA!

Não deixe de visitar a exposição Nós;a Casa no espaço cultural da Casa dos Quadrinhos.

Cotrim, Damasceno, Lucas e Bernardes


Cristiano, Danilo e Daniel


Danilo, Daniel, Estandelau, Cotrim e Damasceno.

Cleide A. Fernandes - Bibliotecária

A Casa no Eletronika 2008

Aconteceu no último fim de semana o Eletronika 2008, Festival de Novas Tendências Musicais e como não podia deixar de ser a Casa dos Quadrinhos estava presente.

Montamos nosso estande bem na entrada do foyer do Grande Teatro do Palácio das Artes. Seguindo a temática do evento levamos artistas para trabalhar o Japão, em comemoração ao Centenário da Imigração Japonesa. Cristiano Seixas, Anderson Viana, Antônio Hashitomi, Rodney Buchemi, Eddie Vieira e Jean Paulo Lopes desenharam no flip-chart. Levamos também um mini-estúdio de animação “stop motion”, no qual era possível acompanhar desde a modelagem de personagem à montagem do filme. Os professores Eddie Vieira e Daniel Lima orientavam os visitantes.

E inovamos também! Coincidentemente no Fantástico da Rede Globo do último domingo foi apresentada uma matéria sobre o Grafite Eletrônico. Um show de criatividade! No estande da Casa foi possível conhecer uma tecnologia bem parecida, sob a orientação do professor Daniel Lima. Foi um sucesso! Todos paravam para ver os desenhos na parede! Alunos da Casa deram um show de técnica e participantes do evento também se arriscaram. Se você não foi, console-se com as fotos!


Daniel Lima e alunos da Casa

O público participando


Anderson Viana


O aluno Daniel Pinheiro na modelagem

Cristiano Seixas

Quadrinho é coisa séria?

Vídeos produzidos por Fiz + Sotaques que tenta trazer uma outra visão dessa profissão de gente grande. Participaram desta matéria professores da Casa dos Quadrinhos.








Visite: Sotaques do Brasil

quarta-feira, setembro 03, 2008

Concurso Desenho de Imprensa

Até o dia 15 podem ser feitas as inscrições para o concurso Desenho de imprensa, promovido pelo 1º Festival Internacional de Humor do Rio de Janeiro. A primeira edição do evento, que será realizado no Centro Cultural Correios e Oi Futuro, de 22 de outubro a 23 de novembro, na capital fluminense, premiará com até R$ 6.000 profissionais que tenham publicado ilustrações, charges, caricatura e desenhos humorísticos em veículos de imprensa do país entre 11 de agosto de 2007 e 11 de agosto de 2008. As inscrições podem ser feitas no site do evento.

Fonte: Jornal Estado de Minas

segunda-feira, setembro 01, 2008

Site One Manga

O site One Manga compila scanlations (traduções de quadrinhos feitas por fãs à partir de scans das obras originais) de diversos grupos diferentes em um só lugar, facilitando a busca e o acesso às mais variadas séries de mangás, mas vale lembrar, todas as séries estão em inglês. É um trabalho impressionante de desfragmentação desses grupos - os leitores não precisam se embrenhar em canais de IRC obscuros ou escavar torrents perdidos.

Os mangás são disponilizados para leitura online, com uma interface amigável e prática. Entre as séries ainda em produção e que têm atualizações regulares no site estão Full Metal Alchemist, Naruto e One Piece, dentre outros. Tudo bem que um capítulo de One Piece melhora a mais chuvosa das sextas-feiras, mas o grande trunfo do site está na quantidade absurda de séries disponíveis. Nada melhor do que descobrir novos mangás e conhecer outros autores. E sim, isso é pirataria, mas aqui você pode descobrir as séries que você quer realmente ter na sua coleção.


Pode ler Naruto e perceber que talvez você não queira continuar gastando seu dinheiro com uma série que passa de promissora a sofrível, pode começar a perceber que One Piece está um passo além das outras produções japonesas e que vale sim a pena tê-la na sua estante. Pode finalmente ler os capítulos restantes de mangás cuja publicação foi cancelada e pode, principalmente, descobrir novos mangás.


E pra não ficar só nos elogios os organizadores cometem dois grandes erros dignos de serem mencionados, faltam mais mangás clássicos, principalmente da produção do pós-guerra. A presença de obras mais antigas transformaria o site em uma potente ferramenta de pesquisa. E tudo bem que isso é uma birra pessoal, mas o fato de não ter nenhum mangá de Matsumoto Taiyo (Preto e Branco) na lista faz o Onemanga perder alguns bons pontos. Esse segundo problema pode ser amenizado através desse link (http://www.kefi.org/pp.php) - pois é, eu também não acreditava que uma série cujo contexto é o universo do ping pong pudesse ser tão impressionante.

O Onemanga é um alívio para nossa curiosidade, fome de conhecimento e principalmente nossos HDs, que agradecem toda a leitura online que fazemos. E se você não sabe por onde começar aqui vão algumas sugestões: Naruto, One Piece e Bleach tem atualizações semanais, com capítulos novos todas as sextas-feiras. Se você já gastou uma fortuna com Vagabond e está bem chateado porque a editora não publica mais capítulos da série acesse o mangá pelo site e divirta-se. Nana, de Ai Yazawa é um bom shoujo mangá que vale a pena ser lido. Leia e decida se você quer continuar comprando a recente publicação da JBC.


Pluto de Urasawa Naoki (Monster). Naoki assina a publicação junto com Tezuka Osamu uma vez que o autor de Monster e 20th Century Boys desenvolve esse seu mais novo trabalho a partir da história de Tezuka "O robô mais forte do mundo" da série Astroboy. Uma excelente combinação de suspense policial e ficção científica misturada à nostalgia de ver as coisas acontecendo no mundo de Astroboy, com o pequeno robô participando!


Preparem suas madrugadas e boa leitura!



Eduardo Damasceno (ex-aluno da Casa)

Ângelo Carvalho - Introdução à Gravura em Metal


"Uma noite para esperar verdades de criança"


"Cuide de quem corre do seu lado"


"No momento certo"


"Paisagem para um dia de saudades"


"Pés descalços no chão de vidro"


"Solidão para o egoísmo"


De um modo geral, chama-se "gravura" o múltiplo de uma Obra de Arte, reproduzida a partir de uma matriz. Mas trata-se aqui de uma reprodução "numerada e assinada uma a uma", compondo desta forma uma edição restrita, diferente do "poster", que é um produto de processos gráficos automáticos, e reproduzido em larga escala sem a intervenção do artista.
Cada imagem reproduzida desta forma, é única em si, independentemente de suas cópias, consequentemente, cada gravura "é única", é uma Obra original assinada. O fato de haver cópias da mesma imagem, nada tem a ver com a questão de sua originalidade. Ao contrário disso, a arte da gravura está justamente na perícia da reprodução da imagem, na fidelidade entre as cópias, este é um dos fatores que distinguem o artista "gravador".
Existem vários tipos de gravura, ou, técnicas distintas de reproduzir uma Obra. As mais utilizadas pelos artistas são: a gravura em Metal, a Litografia, a Xilografia e a Serigrafia.

A Gravura em Metal

A gravura em Metal é uma das mais antigas técnicas de gravura. Existem obras nesta técnica datadas de 1500, produzidas por vários gênios da Renascença. A gravação em metal estava no princípio ligada ao trabalho de ourivesaria, como obra de entalhe e desse modo voltada à ornamentação. O desenvolvimento de processos gráficos a partir do século XV, impulsionado por novas necessidades na realização de imagens impressas e na procura de técnicas que permitissem um trabalho gráfico da imagem impressa de alta qualidade e resistência às grandes tiragens e edições, encontrou no meio ligado à ourivesaria o ambiente necessário para o emprego de matrizes de metal e para o aparecimento das técnicas da gravura em metal. A gravura em encavo, deposita a tinta nos sulcos realizados pela gravação.
As ferramentas mais comuns usadas para gravar uma imagem na matriz são a ponta seca - um instrumento de metal semelhante a uma grande agulha que serve de "caneta ou lápis". Existem ainda técnicas nas quais são utilizados produtos químicos, como na água-forte e na água tinta (ácido nítrico , percloreto de ferro).
A ponta seca risca a chapa, que tem a superfície polida, e esses traços formam sulcos, micro concavidades, de modo a reterem a tinta, que será transferida por meio de uma grande pressão, ao passar por uma prensa de cilindro conhecida como prensa calcográfica, e imprimindo assim, a imagem no papel, o papel é anteriormente mergulhado na água antes de ser levado a prensa de cilindro, para melhor absorção da tinta!

Importantes gravuristas:
Albrecht Dürer (Alemanha); Piranesi (Itália); Rembrandt (Holanda); Goya (Espanha); Pablo Picasso (Espanha); Oswaldo Goeldi (Brasil); Iberê Camargo (Brasil); Lívio Abramo (Brasil); Marcelo Grassmann (Brasil); Fayga Ostrower (Brasil); Regina Silveira (Brasil).

Nós;a Casa


Nós;a Casa

A Casa como uma criatura viva, que tem na Arte o seu oxigênio, o seu alimento.

Exposição no Espaço Cultural da Casa dos Quadrinhos Escola de Artes Visuais

Com os artistas:

Eduardo Damasceno
Estandelau
Danilo Dias
Cristiano Seixas
Gulliver Vianei
Felipe Hauck
Edmilson Cotrim
Daniel Lima
Luciano Irrthum
Jonatas
Lucas Libanio


Dia 5 de setembro: mesa redonda com os artistas às 18:30
Dia 8 de setembro: abertura da exposição
Visitação: seg. à sex. de 9:00 às 20:00, sábados de 9:00 às 17:00